quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Matando idéias no ninho

Mais um CTRL+C+V no blog com mais CTRL+C+V da quadra!

Fonte: Criar, Saber, Viver de EDUARDO ZUGAIB

Em casa, na escola, no trabalho, entre amigos... não importa o lugar. Se você ainda não enfrentou alguma delas, algo pode estar errado na sua vida. As frases assassinas estão em todo lugar, à espreita de qualquer tentativa de mudança, de quebra de paradigmas. Elas não representam necessariamente maldade ou censura, mas sim os reflexos da acomodação, do conformismo, do medo do novo, já que o novo sempre representa algum tipo de ajuste em nossa vida.A acomodação ainda dá a tônica nas relações humanas. Isso torna necessário o constante policiamento das nossas atitudes, não pelo medo de nos tornarmos vítimas mas, principalmente, para que não sejamos nós os atiradores de frases programadas para matar novas idéias.São muitas as formas de manifestação das frases assassinas. Normalmente surgem cercadas de alguma justificativa tão abstrata quanto instantânea, como o tempo (“Temos questões mais importantes para cuidar...”), o dinheiro (“Quanto custa? Vale a pena?”), a experiência (“Isso já foi tentado antes...”, “As coisas aqui sempre funcionaram assim...”), a lógica (“Das duas, uma...”, “Não é muito racional...”) e a pior de todas: a expectativa dos outros (“Vão achar que somos loucos...”, “Eles jamais concordarão...”).Em uma empresa, note-se que os comentários entre parêntesis são feitos por pessoas de todos os escalões, com ou sem poder de decisão, ocupando tanto funções estratégicas quanto táticas dentro da organização. Isso significa que muitas das frases assassinas surgem espontaneamente nas bocas erradas, apoiadas apenas pelo “achismo” ou experiências anteriores em outros contextos, mas que se cravaram na mente como verdades absolutas. Relatos que normalmente começam com uma recomendação do tipo: “Vai por mim...”O maior recurso que uma empresa pode ter é o capital intelectual dos seus colaboradores. A diversidade deste capital é o que origina as idéias. E são elas, as idéias, as estruturas primordiais das inovações, que podem representar a continuidade da empresa dentro de um cenário onde a única certeza é a da mudança.Como dissemos lá atrás, se você ainda não enfrentou uma frase assassina, é hora de começar a se preocupar. A existência ou não delas no seu dia-a-dia é apenas um reflexo direto do espaço que a criatividade anda ocupando na sua vida.

Um comentário:

zeantonio ferreira disse...

Existe um posster americano, dos anos 70 que tratava de assunto co muito bom humor.... o titulo era "100 Ideas Killers"... Seria legal descobrir isso e publicar no seu blog....

zeantonio ferreira
redator
DES+Marketing Promocional