sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

A Message To Obama


Uma coisa me chamou a atenção essa semana. Pesquisando no Flickr comecei a observar pessoas do mundo inteiro enviando mensagens para Obama. Clique aqui pra ver.

E aí pensei, esse é o tipo de coisa que vai acontecer daqui pra frente.

Obama passou o ano passado inteiro chamando as pessoas para participarem de um movimento de mudança. Yes We Can. Propaganda participativa. As pessoas aderiram a essa campanha, levantaram a bandeira e foram inspiradas.

Acontece que, me enchem o saco todos os dias perguntando por qual razão eu falo tanto do Obama. Não é bem assim, é que eu tenho observado tudo o que acontece por causa dele, mas mais do que isso, o que mais me chama atenção é que ele faz exatamente o papel que as marcas deveriam assumir daqui pra frente. Inspirar as pessoas e chamar elas para participar do processo, ser o assunto na vida delas, fazer parte da vida, essas coisas. E isso ele tem feito como ninguém!

Nada do tipo: Estou aqui! Olha pra mim! Eu sou mais bonito! Estou distribuindo prêmios! Eu sou mais inteligente! Eu ofereço mais vantagens! ARGHHHHH

As coisas mudaram e a comunicação de Obama, ou melhor, a comunicação das pessoas para Obama é a materialização daquilo que acredito e discuto, debato, brigo e defendo há tempos. Ele apenas está fazendo aquilo que as marcas deveriam fazer.

E é por isso que continuo observando o que o efeito Obama está causando nas pessoas. Com americanos, brasileiros, europeus, africanos, islâmicos, eu, você. Queremos nos sentir importantes. Queremos ter voz ativa no mundo. Assumimos o poder da comunicação. Escolhemos o novo presidente do mundo. Fizemos parte dessa mudança.

A nova propaganda precisa ser participativa, colaborativa, inspiradora, trazer as pessoas, socializar, fazer efetivamente parte da vida das pessoas. Nós temos blogs, câmeras digitais nas mãos, participamos de redes sociais, temos twitter, vamos a shows, conhecemos cada dia mais pessoas e adicionamos elas às nossas redes de relacionamento no Orkut, no Facebook, MSN, enfim, entenderam né?

Agora é minha vez. 

Vou então deixar a minha mensagem para as marcas.

Queridas marcas, não atrapalhem as nossas vidas, busque fazer parte dela. Tente ser o assunto das nossas vidas. Motivo de conversas, debates. Seja como Obama, seja como o futebol, seja como a religião, e como algumas vezes fazem a Nike, Apple, Google.

Sejam importantes para nós. 

Esse é o recado.

Um comentário:

Fernando Pace disse...

Grande e pertinente texto camaraum!